A tolerância com o próprio erro...

photovisi-download (1)

O ser humano é assim: não tolera o erro do outro mas, o próprio... acolhe e protege.

“... Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre.
O rico possuía muitíssimas ovelhas e vacas.
Mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma pequena cordeira que comprara e criara; e ela tinha crescido com ele e com seus filhos; do seu bocado comia, e do seu copo bebia, e dormia em seu regaço, e a tinha como filha.
E, vindo um viajante ao homem rico, deixou este de tomar das suas ovelhas e das suas vacas para assar para o viajante que viera a ele; e tomou a cordeira do homem pobre, e a preparou para o homem que viera a ele.
Então o furor de Davi se acendeu em grande maneira contra aquele homem, e disse a Natã: Vive o Senhor, que digno de morte é o homem que fez isso.
E pela cordeira tornará a dar o quadruplicado, porque fez tal coisa, e porque não se compadeceu.
Então disse Natã a Davi: Tu és este homem...”
2 Samuel 12:1-7

Você deve estar pensando: Quanta hipocrisia!! Como ele conseguiu? Davi não era pior que nós. Ele também tinha sua fraqueza e não conseguiu dominá-la. Uma olhada para o lado errado, uma decisão de ficar no palácio quando deveria acompanhar o exército na batalha... tempo ocioso gerando pecados grandiosos. Quem imaginaria que um homem tão integro e temente a Deus faria o que Davi fez? Um homem tão sensível ao Senhor. Capaz de escrever músicas pra Deus. Um verdadeiro rouxinol do palácio. Um homem que sabia usar uma espada e escudo com a mesma destreza que tocava uma harpa. Um homem sujeito às mesmas fraquezas que todo ser humano.  Homem de momentos diversos. Momentos em que a Palavra é substituída por uma conversa desnecessária.  Momentos em que a oração fica pra depois. Momentos de isolamento proposital. Nesses momentos  tudo pode acontecer!!! Naquele momento, Davi, se entregou aos pensamentos, desejos e sentimentos vis. Um exímio guerreiro derrotado por uma paixão. Uma pedra que além de o fazer tropeçar acabou tomando-a para si.  E apegado ao erro, o rei de Israel, cometeu outros ainda piores. Pecado é uma bagagem que deve ser liberada... deixada de lado. Insistir em caminhar com ela pesa muito nas consequências.  Pecado é substancialmente, nocivo à vida espiritual. Por isso o conselho bíblico: ‘Se confessarmos os nossos pecados Deus é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça.” Por que carregarmos o peso dos nossos erros, se em Cristo, eles podem ser perdoados? Quem acolhe um erro e o protege está mantendo sua própria alma em cativeiro. Com o tempo, tal pecado, se torna normal que você nem o enxerga mais... a hipocrisia vira irmã.

“Não há orgulho tão perigoso, tão sutil e traiçoeiro, como o orgulho da santidade."

 

Pela cruz de Cristo,Maristela Guimarães.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANDO DEUS NOS LEVA PARA O DESERTO...

Passemos para o outro lado... mudança de nível.

O agir de Lapidote...