O agir de Lapidote...



E Débora, mulher profetisa, mulher de Lapidote, julgava a Israel naquele tempo. (Jz 4.4)

Um homem citado uma única vez na bíblia... mas com uma mensagem enorme pra testemunhar.
Nem todo agir requer barulho,alardes... tem pessoas que falam no silêncio. Lapidote é uma delas. Num tempo em que somente o homem falava, ele se calou para dar eco a voz de sua mulher, Débora. É incrível, mas isso aconteceu.

O que posso aprender com esse digníssimo homem? 

É possível amar sem apagar o outro... 

A tendência da pessoa insegura, possessiva, egoísta é frear o outro. Se alguém pra estar com o outro precisa inibir suas competências e habilidades, realmente isso não é amor... é prisão.  Esse homem bem resolvido saiu de cena, para sua esposa aparecer...

É possível amar, admirar o outro sendo usado por Deus.

Especificamente.. . não era ele, era ela. E como isso não brotou raiz de inveja, preconceito e rivalidade? Por certo, esse homem não era qualquer um... ele foi escolhido a dedo por Deus pra estar ao lado dela.   E você pode até pensar como as cabeças de muitos, hoje: "Mas ela é tão forte que nem precisava dele"... aí que você se engana! Débora foi fora de casa o que por certo ela ouvia do seu marido, naqueles momentos de intimidade, confidências e sutis conselhos dentro do seu lar.  Aqueles diálogos após as crianças dormirem, sussurrados no aconchego do quarto à meia luz...

É possível amar e dar espaço para o outro ser o que ele pode ser...

O verdadeiro amor não usa de comparação e determinismos... funções específicas: o que cabe a cada um, o que é ação de cada sexo, etc... Ninguém deixa de ser bom esposo ou esposa simplesmente, por ter tarefas outras para realizar. Não se dá menor importância ao amor, e nem é humilhante que um, sobressaia em alguma área, mais que o outro. 
É possível amar sem prejudicar o ministério do outro... 

Penso que enquanto Débora servia a Deus cuidando do seu povo, Lapidote, servia a Deus cuidando dela, dos filhos e intercedendo. Porque toda mulher que exerce alguma influência, ministério entre os de Deus, precisa de um homem forte na presença de Deus, que põe a boca no pó por ela. Veja, Lapidote não deixou de ser homem, esposo e servo de Deus por isso... pelo contrário, seu valor excedeu. E Débora, não deixou de ser o que deveria, como esposa e mãe. Pois Deus não divide família, une. 

O melhor presente que uma mulher que serve a casa de Deus pode receber,depois da salvação, é um esposo companheiro, digno, como lapidote. Toda Débora precisa de um Lapidote...

Pela cruz de Cristo, Maristela Guimarães.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANDO DEUS NOS LEVA PARA O DESERTO...

Passemos para o outro lado... mudança de nível.