Enfrentando a hostilidade humana...

Passar por fases e enfrentar batalhas é do ser humano... Quando mais jovens somos mais fortes, eu acho. Queremos vencer o tempo todo... já na fase adulta, nem todas. Aprendemos a peneirar e escolher qual, realmente, valerá a pena. Mas, às vezes, algumas nos surgem e a demanda é grande... não podemos escolher, ignorar ou simplesmente, deixar pra lá. Bem, o mês de março me reservou algo desse tipo. Situações difíceis surgiram e precisei enfrentar. Seria bom me fingir de louca como Davi, mas não dava, a oposição não era nobre. Também, achei que entrar dentro de uma caverna me cairia bem, como Elias, lembra? Infelizmente, não era propício. Entendi, vou ter que encarar essa. A oração é uma arma poderosa... creia! Mesmo quando ,fisicamente, estivermos um trapilho. A Palavra é um escudo... mesmo quando estivermos fracos demais para lê-la. Em tempos desses, me vem à memória, José. Ele precisou vencer a hostilidade dos próprios irmãos. E ainda assim, vemos que esse homem, não permitiu ficar em seu coração nenhum resíduo de mágoa. Isso sim é vitória!! Pois no final, ele pode celebrar,livremente, de alma, corpo e espírito.
 José incomodou muita gente... Você só incomoda quando surpreende! Se as pessoas não esperam nada de você e você reage com nada... não incomoda! Mas do contrário, adquire-se inimigos sem desejar. 
José, incomodou seus irmãos porque era um sonhador. Os sonhadores sempre incomodarão. José, incomodou seus irmãos porque Deus se revelara a ele. Os escolhidos sempre incomodarão! José, incomodou seus irmãos porque era amado e querido pelo pai. As pessoas queridas e amadas sempre provocarão incômodo. 
José incomodou a mulher de Potifar porque era um jovem de  caráter e espiritualidade. As pessoas de caráter e espiritualidade sempre irão incomodar! 
Dentro da prisão José fez o que poucas pessoas conseguem fazer numa realidade hostil:  serviu... e se destacou por isso. Usou suas habilidades de líder e de servo de Deus. Mesmo sem merecer tudo aquilo, ele decidiu ser o melhor naquela situação. Usou a adversidade a seu favor. Deus lhe deu a oportunidade de interpretar um sonho e ele não desperdiçou. Foi humilde, pedindo um favor... que só lhe foi feito dois anos depois. Não, José não era um homem azarado, ele era a peça chave dos planos de Deus, naquele tempo, pra levar seu povo para o Egito... pessoas que estão dentro do propósito de Deus padecerão perseguição e irão incomodar muita gente, e o inferno todo.  Mas, o que importa é que nada e ninguém freou José. 
Tenho que dizer que desde que conheci a experiência de vida desse homem nunca mais fui a mesma... ele sempre me inspira nas adversidades. E nesses dias de hostilidade ele sem dúvida é um exemplo. 
Não esqueça de José... 
Pela cruz de Cristo, Maristela Guimarães.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANDO DEUS NOS LEVA PARA O DESERTO...

Passemos para o outro lado... mudança de nível.

O agir de Lapidote...