O verdadeiro AMOR...




I Coríntios 13, a maior página que já se escreveu sobre esse assunto.
UMA ANÁLISE DO VERDADEIRO AMOR - Meditando sobre esses versículos, vejo aí quatro fatos básicos acerca do verdadeiro amor. E esses fatos mostram como o amor é importante para se ter um relacionamento franco. Acho que o
leitor irá concordar comigo.
1. O amor não é opcional, é essencial. Em primeiro lugar, vemos aí que o amor não é opcional; é imperativo. Paulo cita a frase se não tiver amor três vezes (v.1,2,3), e em seguida apresenta o ponto forte: ... o bronze que retine... nada... nada... Se retirarmos de nossas ações o amor, que é o elemento essencial de tudo, elas se tornam semelhantes a um carro sem rodas, um trem sem máquina, um avião sem asas, uma casa sem alicerces. Removendo-se o amor, nada mais resta.
2. O amor não é uma inclinação, é uma demonstração. Quando falamos do amor como uma demonstração, queremos dizer que ele é ação, envolvimento, movimento, expressão. O amor é... o amor faz... o amor não é... o amor não faz isso ou aquilo. O amor não fica sentado, cochilando. Não é apático. É sempre disposto e pronto a agir. Não é passivo nem indiferente. Ele não passa pela vida bocejando. O verdadeiro amor é demonstrativo e não estéril nem embotado.
3. O amor é um ímã que nos aproxima dos outros, e não uma muralha a separar-nos. Nos versículos 4 a 7 de I Coríntios 13, aparecem quinze definições especificas do amor, e cada uma delas possui força magnética suficiente para atrair as pessoas umas para as outras. Para resumir essas quinze características do amor que jamais acaba , chegamos a cinco afirmações que dizem tudo. Eu aceito você exatamente como é. Creio que você tem muito valor. Se você estiver sofrendo, eu me preocupo. Desejo apenas o que é melhor para você. Cancelo todas as suas ofensas. Essas são as leis básicas do amor. E não conheço ninguém que iria resistir a atitudes tão magnéticas e positivas quanto
essas.
4. O amor não é um empréstimo de retorno imediato; é um investimento a longo prazo. O verdadeiro amor não tem nada de superficial. Também não é uma varinha de condão que abanamos por cima de um problema, esperando que o sofrimento desapareça como que num toque de mágica. O verdadeiro amor é duradouro. O amor autêntico é forte. Não cede à tentação de procurar saídas fáceis. Ele sempre resolve trabalhar o problema até solucioná-lo.
Mas você só terá certeza disso, se resolver deixar o amor ter livre curso em você. Só terá certeza disso, se ele não continuar sendo apenas meras palavras nas páginas deste livro, ou apenas a letra de uma música, ou as palavras da carta de outra pessoa. É verdade; o amor verdadeiro é a única coisa do mundo que existe em quantidade insuficiente.

(Vivendo sem máscaras – Charles Swindoll)

Pela cruz de Cristo, Maristela Guimarães

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANDO DEUS NOS LEVA PARA O DESERTO...

Passemos para o outro lado... mudança de nível.

O agir de Lapidote...