Nada é para sempre... somente Deus!


Hoje, me veio à mente algo muito forte em minha relação com Deus...

Assim, Ele me falou: "Eu lhe dei e posso tirá-lo a qualquer momento. Ele não é para sempre. Eu sim!"

Quando eu descobri quem era Deus, passei a orar sem cessar pelo meu pai. 

Pensa num coração carente? Era o meu.

Pensa no que uma garota de 8 a 10 anos mais deseja? Não, não era uma boneca, nem brinquedos... era um pai. Um pai presente fisicamente, emocionalmente e afetuosamente. Orei muito... na primeira vez que saí sozinha com meu pai, ele se esqueceu de mim ao ir para o bar. Precisei voltar sozinha pra casa...  Eu não o culpava, nunca o culpei. Sabia que era a bebida, a maldita bebida. Eu tinha uma necessidade dele enorme. Uma vez, num natal, ele estava já sóbrio pela tarde e eu então, pude desfrutar da companhia dele. Sentados na beira da porta da cozinha, conversávamos felizes. Meu pai gostava de festas, comemorações, e ali falávamos dos dias  anteriores quando de repente expressei: "Queria que esse dia nunca mais acabasse." Minha mente não estava naquelas coisas compradas, na comida... não! Eu falava de algo que estava acontecendo naquele momento. A conversa de pai e filha. Mas ele riu, achando que eu estava falando do natal. Eu pensei: "Ele não entendeu nada!" Mas eu nunca desisti! Eu sabia que  Deus em algum momento me ouviria. 

Pensa num coração esperançoso... era o meu!
O tempo passou... recebi o chamado de Deus para o ministério, que eu nem sabia de fato, o que seria. Mas a vida lá em casa sempre foi muito tensa, e acabei  deixando de lado meu comprometimento com Deus.  Até, que um dia, sabendo que um colega iria estudar, o Espírito Santo falou comigo: Era para ser você! E ele trouxe uma tristeza enorme dentro de mim. O meu abatimento foi imediato... o que senti foi doído, pesado me levando direto para o quarto. Ali me ajoelhei e orei: "Deus, se é isso mesmo que o Senhor quer, converta o meu pai. Eu não posso sair daqui e deixar minha mãe sozinha. Agora, se o Senhor transformar meu pai eu faço o que o Senhor quer."

Pensa num coração divido. Era o meu. 
Pois é... cuidado com o que você no íntimo de seu quarto se compromete, pede ao Senhor. Ele responde! Glória a Deus!!  Naquele mesmo ano, meu pai sozinho dentro de um bar, quebrou a última garrafa e afirmou que seria um crente. Lembro-me, completamente, a forma que entrou ainda bêbado dentro do meu quarto, colocando o dedo indicador em meu nariz e dizendo: Nunca mais seu pai vai beber. Serei um crente batista. E assim foi. 
Meu pai se converteu e desde então, vivi os melhores anos de minha vida. 

Pensa num coração maravilhado... Era o meu!!! 
Deus havia me dado o que eu pedi. E agora era a hora de fazer o que me comprometi. Eu tinha resposta de oração, tinha uma família mais ajustada, eu tinha esperança... Vivi tudo na mais intensa alegria e gratidão. Até que um dia, indo trabalhar, no ponto de ônibus me deparei com uma cena que estraçalhou meu coração: A capa do jornal que em sua manchete dizia: Pedreiro assassinado dentro do quarto é encontrado pelos policiais.  Naquele momento meus olhos contemplava  a cena do jornal que era idêntica a do quarto de meu pai, inclusive a posição  dos móveis. A forma como o corpo estava sobre a cama, era justamente, o jeito que ele dormia.  Sem contar a manchete dizendo que era um pedreiro... Eu ali, senti a maior dor do mundo: a dor da perda. Meu pai morto no jornal.  Meu querido pai, filho de Deus, uma bênção em comunhão na igreja e a batalhar por nós, em oração. Eu vivi os segundo mais intensos de dor e sofrimento até que Deus me falou: "Olha outra vez. Olha o lugar." E quando olhei, o homem morto era de São Francisco e não, São Fidélis. Eu sei, você deve estar pensando o que tudo isso tem a ver com o título da postagem? Meu coração respirava por alívio e por tensão. E Deus conclui: "Eu lhe dei e posso tirá-lo a qualquer momento. Ele não é para sempre. Eu sim!"

Pensa num coração conturbado... era o meu!
Naquele dia eu sofri por demais. Trabalhei com um peso no coração enorme.  No silêncio as palavras vinham... "não é ele, mas ele não é para sempre!"
O tempo passou. Estava conversando com colegas de trabalho quando pronunciei a seguinte frase: "Deus me livre de ficar sem meus pais, eles são os único tesouros que possuo." Na mesma hora, lembrei do que acontecera. Não demorou muito, descobrimos que meu pai estava com câncer. E a batalha começou... orei, pedi mais um tempo com ele, Deus me concedeu porém, no final de cinco anos, meu pai faleceu. "O Senhor deu o Senhor tomou. Bendito seja o nome do Senhor." 
Naquele mesmo ano, minha mãe havia falecido, seis meses, antes. 
Foram meus tesouros... Deus ficou e continuou o mesmo! Soberano, Senhor, Pai, Protetor, Abrigo, Companheiro... Amigo. 
Talvez essa postagem esteja sendo para você que entrou no site agora... penso que Deus não me fez relatar tudo isso em vão. Tem alguém precisando saber que Deus responde orações e abençoa não só para nossa felicidade, mas para a glória dele! Porém, a nossa felicidade pode ter prazo de validade, a glória dele, não! Tudo é para Ele, por Ele e Dele.

Deus não nos deixa sem respostas. Algumas vezes nos confronta. Nos chama à realidade. Nos dá escapes... sinalizando, nos prepara para o dia mal. Mas o dia mal, esse vem para todos. Então, não se sinta o desgraçado. Você é só mais um, que já sabe a dor da perda, 
mas que pode sair desse estado de "coma" para a vida abundante em Cristo Jesus.

Pensa num coração agradecido e restaurado... é o meu!!!
Deus te abençoe!
Pela cruz de Cristo, Maristela Guimarães.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANDO DEUS NOS LEVA PARA O DESERTO...

Passemos para o outro lado... mudança de nível.

O agir de Lapidote...