Tem óleo em sua lamparina?

Uma música tem cercado os meus dias e despertado minha alma:

"Eis-me aqui

Vim receber 

mais do teu óleo

Pra chama não apagar

Estou aqui

Senhor em tua casa

Sou tua lamparina

Teu óleo vou estocar.


Eu quero óleo

Dá-me mais óleo

Enche minha vida

Teu óleo eu vim buscar"

O Reino dos céus será, pois, semelhante a dez virgens que pegaram suas candeias e saíram para encontrar-se com o noivo. Cinco delas eram insensatas, e cinco eram prudentes. As insensatas pegaram suas candeias, mas não levaram óleo. As prudentes, porém, levaram óleo em vasilhas, junto com suas candeias. O noivo demorou a chegar, e todas ficaram com sono e adormeceram. "À meia-noite, ouviu-se um grito: 'O noivo se aproxima! Saiam para encontrá-lo!' "Então todas as virgens acordaram e prepararam suas candeias. As insensatas disseram às prudentes: 'Deem-nos um pouco do seu óleo, pois as nossas candeias estão se apagando'. "Elas responderam: 'Não, pois pode ser que não haja o suficiente para nós e para vocês. Vão comprar óleo para vocês'. "E saindo elas para comprar o óleo, chegou o noivo. As virgens que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial. E a porta foi fechada. "Mais tarde vieram também as outras e disseram: 'Senhor! Senhor! Abra a porta para nós!' "Mas ele respondeu: 'A verdade é que não as conheço!' "Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora! (Mateus 25:1-13)

Palavras de Jesus... uma parábola sobre ele mesmo, o noivo, e sobre nós, a noiva. A parábola ensina claramente a necessidade de vigilância.

Havia duas fases no casamento judaico. Na primeira, o noivo ia até a casa da noiva para busca-la e cumprir certas cerimônias religiosas. A primeira etapa, erusin, é como um noivado, celebrado diante de duas testemunhas, quando o noivo dizia “seja você consagrada a mim...”. Através deste ato a moça era “reservada” ao rapaz, todavia sem relação conjugal. Trata-se já de um compromisso que não se podia dissolver (só com divórcio ou morte), mas não era ainda uma relação matrimonial. Depois, ele a levava para sua casa para o reinício das festividades e finalização dos votos matrimoniais. Algum tempo depois (12 meses em alguns casos) se concretiza o matrimônio, o nissu’in. Não era um ato automático, pois o consenso de ambas as partes era necessário. Essa visão cerimonial me amplia a ideia do texto... eu consigo entendê-lo  mediante esse esclarecimento.
Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.
Mateus 24. 13

Perseverar até o fim... Estar envolvido na primeira fase não faz de você participante da segunda. 

Por isso, Jesus conta a parábola do noivo que reconheceu 5,recusando outras 5. No antigo testamento o candelabro era mantido aceso com o uso do azeite. E ele não podia apagar nunca, o que mostra a importancia da vigilancia do sacerdote quanto a quantidade do óleo. Resumidamente, o candelabro está relacionado a Cristo, o nivo, a igreja, a noiva e ao Espírito Santo. 
Veja bem... o Espírito Santo é reconhecido também, na Palavra, como óleo, o que está sempre ligado à unção.  E, em 2 Coríntios 1. 21,22, Paulo fala da unção dada por Deus, do Espírito, chama-o como penhor. Penhor, essa palavrinha era usada pelos gregos para descrever a aliança de noivado, um anel que até hoje serve de garantia e futuro comprometimento. 

Mas o que nos confirma convosco em Cristo, e o que nos ungiu, é Deus,
O qual também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações.
2 Coríntios 1:21,22

Então, vejo essas noivas insensatas como alguém que está pronto do lado de fora... mas, nunca do lado de dentro. Aquelas cinco estavam trajadas para as bodas: vestidos impecáveis, maquiagens  perfeitas, todas perfumadas e literalmente, no salto...  tinham aparência de noiva, mas não foram reconhecidas pelo noivo. Por quê? Não tinham o selo, o penhor. Não estou falando de manifestações. Estou falando de uma marca... algo que somente o noivo reconheça.
Veja, na vida atual pode ser até que alguém consiga enganar o noivo ou, noiva... eu diria, propaganda enganosa. Muitos entram num relacionamento achando uma coisa do outro e depois diz: "Oh, eu fui enganado!" Mas com Cristo isso não acontecerá. Ou você é, ou não é! 

Uma coisa que tenho pra mim: O fogo do Espírito Santo nunca se apaga... mas o fogo estranho, sim!

Cuide-se para que de fato tenha óleo em sua lamparina. 

Pela cruz de Cristo, Maristela Guimarães. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANDO DEUS NOS LEVA PARA O DESERTO...

Passemos para o outro lado... mudança de nível.

Dois principais erros na vida cristã...