Quando a alma recusa ser consolada...

MARISTELA 18

Elevo a Deus a minha voz e clamo, elevo a Deus a minha voz, para que me atenda. No dia da minha angústia, procuro o Senhor; erguem-se as minhas mãos durante a noite e não se cansam; a minha alma recusa consolar-se. Lembro-me de Deus e passo a gemer; medito, e me desfalece o espírito. Não me deixas pregar os olhos; tão perturbado estou, que nem posso falar. Salmo 77. 1-4

Quando foi a última vez que se sentiu assim? Um momento de loucura quem nunca teve? Surtou, pensei! O salmista surtouuu... mas eu também. Quando os problemas vêm em proporção gigantescas, nós não conseguimos ver o bem, a solução, a resposta, a mão de Deus. Mesmo que seja por segundos, isso acontece. Nossa alma rende-se ao desespero e se nega ser consolada. Esse salmo é de Asafe, um músico...  sente as coisas com bem mais desespero. Ele se compara a uma pessoa abandonada, sem ninguém, doente e apelando por socorro. A sensação de solidão é nítida no texto. Ele se sente tão preocupado que tem insônia. Ele não vê os sinais da graça de Deus. Não vê realizar as promessas recebidas e não percebe as misericórdias e benignidades do Senhor. Chega ao cúmulo de pensar que Deus o deixou, que já não é mais o mesmo. Porém como num salto, sua alma sai do desespero para a fé. Ela progride em meio a tormenta...  a loucura, o surto como uma nuvem negra vai se dissipando e aos poucos, começa a lembrar dos atos de Deus e dos seus prodígios. Recordações espirituais... ninguém supera o trágico sem elas. Eu sei bem disso! Cada decepção, cada frustração, cada dor e perda... levo minha mente à lembrança de como Deus é bom! “Quero trazer à memória aquilo que me dá esperança.” Nesse ponto eu me rendo e adoro... a nuvem negra vai e o sol da justiça alegra minha alma. É, momentos como o de Asafe todos temos... mas, cultive em seu jardim a árvore das recordações. Ela alimentará sua alma e seus lábios cantarão:

“Teus olhos revelam que eu
Nada posso esconder
Que não sou nada sem ti, fiel senhor
Tudo sabes de mim,
Quando sondas o meu coração
Sei que tudo podes ver, bem dentro de mim
Leva minha vida, a uma só verdade
Que quando me sondas, nada posso ocultar

Sei, que a tua fidelidade
Leva a minha vida mais além
Do que eu possa imaginar
Sei e não posso negar
Que os teus olhos sobre mim
Me enchem da tua paz”

Leia o texto todo em sua Bíblia.... veja o bem que Asafe achou em Deus.

Pela cruz de Cristo, Maristela Guimarães.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANDO DEUS NOS LEVA PARA O DESERTO...

Passemos para o outro lado... mudança de nível.

O agir de Lapidote...