Eu era lagarta... agora sou borboleta!

images (2)SE NEM A LAGARTA ACEITA SER UMA COISA A VIDA INTEIRA, PORQUE NÓS SERES HUMANOS, INTELIGENTES E PENSANTES, SERÍAMOS?
OVO... todo mundo já foi. rompemos a casca e damos início à vida. Aqui do lado de fora nada é muito fácil, e não é pra ser mesmo, ou então não crescemos e descobrimos nossa funcionalidade. Saímos para lutar e encaramos tudo. De nada tememos... somos aventureiros, destemidos e viciados ao novo. Queremos tudo que podemos e podemos tudo que queremos. Esse momento graças a Deus é bem longo... é bonito, é intenso, uma boa parte da nossa vida audaciosa e fugaz. mas esse tempo, apesar de perpetuar em nossa memória, passa e logo vem aquela fase “monstro”. A LARVA... Essa faseborboleta que ninguém gosta. Todo mundo já passou por isso. Aquele momento de não aceitação, não rendimento pessoal e auto-críticas pesadas... momento duro. Cansado do trabalho, cansado do dia-a-dia e até da vida. Não existe data para sua chegada... Não é típico de um sexo, ou de um determinado grupo da sociedade. O fato é que em algum momento passamos por isso. Aquela insatisfação... dona de 75% do nosso humor e de nossa infelicidade. Escolhemos a introspecção e o isolamento. Queremos silêncio e sossego... entramos no nosso “casulo”. Está pensando que essa fase não deveria existir? Pois ela é imprescindível para nosso estabelecimento como pessoa, nela tomamos grandes decisões que implicarão em mudanças radicais. Enfim, abrimos a porta para a maturidade... entramos no casulo como larva e saímos, como borboleta. Agora, ninguém nos para e nos limita... o céu é nosso, as flores, os campos e toda a beleza do mundo. Queremos viver. E como queremos... aprendemos separar o “joio do trigo” e só voamos perto daquilo que amamos e desejamos. Não nos permitimos mais “qualquer images (3)coisa”. Se não podemos o que queremos... damos, tempo ao tempo, e continuamos a viver sem cobrança, sem desespero, sem “senão”. Pior que não ter "a coisa"  que se quer é ter qualquer coisa. Porque qualquer coisa não resolve, não preenche, não realiza. "Qualquer coisa" empata o tempo, fazendo-nos perder tempo demais... "Qualquer coisa" distrai e confunde. Qualquer coisa é sinônimo de qualquer um, que faz as coisas, de qualquer jeito...  e definitivamente, não cabe nada disso em borboletas. Elas são livres para encantar e colorir a vida. Elas são livres para voar e pousar onde for possível e agradável... onde o perfume é doce, tal qual, as flores. O bom é que, lagarta, ninguém volta a ser mais...
Boa noite...
Pela cruz de Cristo, Maristela Guimarães.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seja livre pra dizer: Eu te amo!

Uma cultura relevante para uma geração futura.

Fazendo um "upgrade".... uma palavra relevante na esfera feminina.