SOLITUDE.... Quando o que você precisa é só de um tempo.

 

Davi precisou de uma caverna. O que fez Davi, um guerreiro, se esconder lá? A perseguição de 1240207_549460198460477_1420054087_nSaul. Gosto do que Swindoll fala: “Davi nada fizera para merecer esse tipo de tratamento! Ele servira a Deus, matara gigante, submetera-se ao seu superior e comportara-se adequadamente. Quando a imaginação é alimentada pela inveja, a suspeita domina, e nesse ponto coisas perigosas acontecem.”

Posso sentir o cheiro de umidade, peso da solidão, o desespero...  mente atarantada. Davi precisou se esconder, privar-se de estar com o povo que defendia e com sua família, para se preservar. Lembre-se, às vezes é melhor sair de cena, dar um tempo, evitar confrontos. Atitude madura de Davi... aprendamos com ele.

Elias, também, precisou se ausentar. Seu problema bem parecido com o de Davi... perseguição. Elias precisou de isolamento.  Deus mandou que ele se escondesse...  difícil! Elias estava num momento bom. Mas ele obedeceu e foi para o deserto. Não era o caso de Deus destruir o inimigo... era ocaso de Deus investir no profeta. Uma visão nova, um novo curso a percorrer, ou um revestimento espiritual para vencer as batalhas. Novamente citarei Swindoll: “ Quando Deus nos diz inesperadamente “Esconda-se”, ele quase sempre tem dois propósitos em mente: proteção e treinamento.” A direção de Deus inclui sua provisão. Quando Deus dirige ele provê. Foi isso que sustentou Elias”, e é isso que nos sustenta! Posso afirmar, Deus não se ausenta de nós no isolamento. Pelo contrário... ele se revela a nós, mais e mais. Se o deserto é uma escola, Deus é o professor. E nada melhor que aprender de Deus, com o próprio. Atitude madura de Elias... aprendamos com ele.

Preciso citar um animal que me inspira nesses momentos de solitude... a águia! Aos 40 anos suas unhas estão compridas e flexíveis e não conseguem mais segurar suas presas, seu bico se encurva e não morde mais com força, suas asas pesadas e envelhecidas dificultam o seu voo. O peso de anos vividos chega também para ela... Só há dois caminhos: Deixar-se morrer ou renovar-se num doloroso e longo processo de 5 meses. Ela voa para o ninho num paredão no alto da montanha, fica protegida, mas só poderá sair se novamente for capaz de voar. Lá suporta corajosamente a dor.
Ela bate o bico velho contra a pedra até arrancá-lo, espera nascer um novo bico e com ele novamente suportando a dor, arranca as velhas unhas, novamente espera que nasçam novas unhas e com elas arranca as velhas penas. Após 5 meses com novas asas, se lançará no voo da Vitória e Renovação e viverá mais 30 anos. Aos 40 anos renovará para mais 30 anos, totalizando 70 anos. Davi, Elia, a águia... eu e você! Quando for preciso, daremos um tempo, ok?

Boa noite!

Pela cruz de Cristo, Maristela Guimarães.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANDO DEUS NOS LEVA PARA O DESERTO...

Passemos para o outro lado... mudança de nível.

O agir de Lapidote...